Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 74
Busca::..
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Notas
13/04/2019 07h16

 Notas

Parafusos Lipos completa 70 anos

A empresa mantém-se firme na especialização contínua da produção de itens para autos e motos, 90% do seu core business

Mateuz Polisel (diretor técnico), João Costa (gerente de logística), Cora Polizel (supervisora de vendas), Carolina Polisel  (coordenadora de vendas), Carlos Nantes  (gerente técnico), Ione Polisel da Costa (diretora-presidente) Antônio Polisel Filho  (gerente adm/financeiro), Celso Luiz Polisel (diretor vice-presidente) e Germano Polizel Jr. (diretor vice-presidente)

Família Polisel, fundadores: Luiz, Antônio, Liberalle, Germano e Sylvio
 
Após período na informalidade a partir de 1945, ainda na Vila Prudente, São Paulo, em 25 de fevereiro de 1949 foi registrada oficialmente a Indústria Metalúrgica Lipos Ltda. Logo depois, a jovem indústria mudou-se cerca de 20 km de distância, na cidade de Mauá, onde está até hoje, iniciando assim sua trajetória de fabricante de parafusos, conduzida pelos irmãos Antônio, Germano, Liberali, Luiz e o primo Sylvio, todos de sobrenome Polisel.

A longevidade de muitas empresas familiares- como a Lipos - desmentem insucessos atribuídos a laços de sangue. Mas não é fácil se manter sensível com questões de família no frio mundo dos negócios. Porém, a Lipos mantém consigo essa preocupação com a família. Segundo Celso, Germano e Ione Polisel, membros da segunda geração, o aspecto humano/familiar tem sido decisivo em preservar o nível máximo em empregabilidade, mesmo em períodos de turbulências econômicas. “Tínhamos cerca de 180 colaboradores em 2015, hoje são 147. Um chefe de família demitido causa grandes estragos na sociedade, além de ser menos um consumidor dos nossos parafusos”, comentou Germano.

“Entre as décadas 1940 e 1960 tudo estava focado em produzir para sustentar nossas enormes famílias. Já na década de 1970, a segunda geração Polisel já se empenhava em elevar o nível de formação educacional e técnica, embarcando a Lipos numa nova era, tornando-a mais sintonizada com as novas demandas das indústrias consumidoras de fixadores” disse Ione. 

Engenheiro Mecânico formado na década 1970, Celso relata que no começo haviam muitas indústrias dependentes de parafusos importados. Essa foi a oportunidade para a criação da Lipos. Mas para produzir ela teve que desenvolver suas próprias máquinas e ferramentas. Segundo ele, além dos importados, só se encontravam parafusos de rosca usinada. Isso levou a Lipos a se tornar pioneira na fabricação própria dos pentes e na laminação de roscas de parafusos.

Representante da terceira geração, Cora Polizel explica que a empresa foi muito atuante em eletroeletrônicos, linhas brancas e outros. Porém, foi necessário elevar o patamar de qualidade, o que gerou uma especialização na confecção de componentes destinados às cadeias produtivas de automóveis e motocicletas, hoje 90% de tudo que a Lipos faz. “Quando você senta em um carro você dá de cara com parafusos Lipos nos airbags, nos cintos de segurança, na fixação de bancos e outros. Portanto, nossos fixadores são aplicados, também, em sistemas que demandam altos níveis de confiabilidade. Alguns dos nossos componentes passam por 17 etapas até sua expedição”, concluiu. 

Cerificada IATF 16949, hoje, a planta industrial Lipos possui 7.000 m2, dentro de uma área total de 12.000 m2. Sua capacidade produtiva mensal é de 450 toneladas de itens de M3 a M16 entre parafusos, rebites, pinos e peças especiais como hastes, ganchos e outros feitos a partir do fio-máquina. contato_vendas@lipos.com.br

Na Metalúrgica Verdadeiro um dos destaques é o gancho de fixação com “rabo de porco”

Atuando na área industrial décadas atrás, Antônio Verdadeiro era operador de máquinas na Metalúrgica Santa Rosa, produzindo diversos artefatos de metal. Um deles era um misto de gancho e parafuso, para uso na passagem de cabos em bondes e teleféricos. Segundo ele, a Sta. Rosa já operava itens tendo arame como matéria-prima, sendo ela fornecedora de indústrias de colchões de mola, como a Probel. (Foto - Antônio Verdadeiro)
 
Durante a aplicação desses ganchos era feito uma deformação manual, na cabeça, na forma de um “rabo do porco”, o que tornava o sistema muito prático na fixação, em pontos de interface com altos níveis de energia elétrica.
 
Como o rabo do porco era feito a mão, já em sua própria empresa, a Metalúrgica Verdadeiro, Antônio desenvolveu um ferramental próprio para produzir em série este tipo de fixador. Sucesso, hoje ele é vendido em todo o Brasil, especialmente na região Sul, usado com muita praticidade pelos “redeiros”, aqueles que instalam telas de proteção em casas e apartamentos, algo de importância indiscutível, pois envolve segurança de crianças e animais de estimação.
 
Errata: Anuário do Parafuso - 2019
 
 
Na edição 2019 do Anuário do Parafuso, página 5, o preço FOB correto de fixadores p/kg é de US$ 5.262 (cinco dólares e duzentos e sessenta e dois milésimos de um dólar) na importação; US$ 5.826 (cinco dólares e oitocentos e vinte e seis milésimos de um dólar), na exportação, diferentemente dos valores erroneamente publicados.
 
 Recall BMW no Brasil com motos também inclui troca de fixadores
 
Em 19/01/2019 a BMW anunciou um recall incluindo suas linhas de motos F, G, K e R, convocadas a passarem por processo de verificação e possível substituição de diversos componentes. No caso das linhas F 800 S e GS e as F 650 GS, feitas entre 2006 e 2008, essas terão correção na posição do respiro do tanque e troca dos elementos de fixação da coroa traseira, além de verificação do eixo da roda dianteira. O aqui risco detectado é que a roda traseira trave e a moto perca estabilidade direcional.
 
Já as K 1200 R, S, e RS, produzidas entre 1997 e 2006, sofrerão verificação e possível troca da bomba de óleo, bem como correção no torque dos parafusos de ajuste dos manetes. Os discos de freios dianteiros e os parafusos banjo também serão substituídos.
 
Risco de quebra de parafusos leva Axor a recall
 
A Mercedes–Benz do Brasil convocou a partir de 16/1/19 os proprietários dos caminhões da família Axor, fabricados entre dezembro de 2015 e março de 2018 para a substituição dos parafusos de fixação do suporte do tanque auxiliar de combustível. A montadora relatou em comunicado que o aperto feito nesses parafusos pode ter excedido as especificações técnicas, o que pode gerar trincas ou até a quebra dos parafusos e, em situações extremas, poderá ocasionar o desprendimento do suporte e tanque, com riscos de acidentes e danos. Esta convocação envolve, também, a Argentina, de acordo com o Autoblog. Fonte: Fundação Procon – SP / autoblog.com.ar Informações: www.mercedes-benz.com.br.
 
Saveiro VW tem recall por falha na montagem dos fixadores dos freios
 
Em 21/01/2019 a Volkswagen (VW) abriu um processo de recall com sua linha Saveiro, veículos ano/modelo 2014-2018, devido a possível defeito no sistema de freio traseiro. Produzidas entre 17/06/2013 a 16/08/ 2017, a VW constatou haver falha na montagem dos elementos de fixação do conjunto de pinças dos freios traseiros, que poderão se desprender. O tempo de reparo e substituição desses fixadores é estimado em 40 minutos. Informações: www.vw.com.br.
 
 
BMW X5 xDrive 48i – E70: recall para verificação de conexões roscadas
 
Necessidade de verificação em conexões roscadas no motor do SUV X5 xDrive 48i – E70 gerou convocação da BMW. Segundo montadora alemã, existe risco de surgir ruídos indesejáveis e perda de tração durante o uso. Durante a manutenção haverá checagem do torque aplicado nos parafusos que fixam o diferencial dianteiro, suporte de rolamento do semieixo direito e suporte do motor.
 
Oportunidade para visitar a National Machinery, em julho
 
Como parte das comemorações do seu 145º aniversário, a norte-americana National Machinery LLC prepara um Open House em sua sede, na cidade de Tiffin, Ohio, EUA, incluindo a presença de empresários brasileiros.  A fabricante de máquinas para fabricação de fixadores já está inscrevendo interessados, tendo ela escolhido julho (dias 17 e 18) em razão da comodidade de muitos visitantes irem para EUA neste período, de acordo com Bill VanCamp, gerente de marketing para América do Sul, que se fará presente com todo o staff, incluindo o vice-presidente Jerry Bupp e Heinz Guber, representante da Cia no Brasil.  
 
 
 
O programa inclui uma tour entre suas instalações, como o P&D de última geração, estoque de peças de reposição, sua avançada unidade de usinagem bem como apresentações de tipos de maquinário. Também serão realizados seminários técnicos organizados pela National e afiliadas, além de uma diferenciada exposição de modelos clássicos de automóveis.
 
Os interessados poderão obter tarifas especiais de hospedagens mencionando o evento National para os hotéis Hampton Inn & Suites - (419) 443-5300 e Holiday Inn Express (419) 443-5100.
Informações: Cold Forming International
 
COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com