Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 74
Busca::..
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Editorial
12/04/2019 02h57

Editorial

 Torneira$ aberta$

Recentemente um colega da Ásia nos perguntou se a economia brasileira estava realmente melhorando. Fizemos esta tabela abaixo, sobre o setor automotivo, e pedimos que ele tirasse suas próprias conclusões.

No período recessivo recente sempre buscamos mostrar neste espaço "onde havia água", ou seja, melhorias, oportunidades... Mesmo consciente que os estragos eram grandes sempre foi possível encontrar boas oportunidades no Brasil, que nunca deixou de ser atraente.

Ok, aqui não é o único lugar no mundo com atrativos para se lucrar, mas lembremos que somos 2,5% do PIB mundial e quinta população global. Num simples exemplo de potencial, só em smartphones o país possui cerca de 71,9 milhões de usuários, segundo ranking da www.emarketer.com, que é liderado por China (704 milhões), Índia (279) e EUA (220).

Atualmente é intensa a quantidade de notícias positivas, com anúncios de empresas "abrindo suas torneiras", ou seja, desengavetando projetos, despejando dinheiro no mercado. Por exemplo:

- A Toyota espera produzir 225 mil veículos no Brasil, 7,6% mais que em 2018;

- Após vender 75% a mais em 2018, a Scania anunciou R$ 2,6 bilhões de investimentos na operação brasileira;

- A Volvo anunciou investimento adicional de R$ 250 milhões, além do R$ 1 bilhão já programado entre 2017 e 2020;

- A Volkswagen Paraná está implantando uma nova linha, demandando R$ 2 bilhões, além de resgatar 500 colaboradores que estavam em lay-off.

Concluindo, sequer citamos aqui setores como a agricultura, construção, energia, móveis e até fabricantes de torneiras.

Boa leitura!
Sérgio Milatias
COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com