Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 71
Busca::..
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Eventos - Tratamentos & Normas
04/10/2018 07h34

Eventos

Fixadores: Tratamentos & Normas

  

Entre o primeiro e o terceiro dia do evento foram realizados cursos e diversas áreas da galvanização, entre elas o setor parafuseiro

Fotos - 1) Roberto Garcia -  2) Hilário Vassoler  - 3) Vívian Nagura

O Ebrats contou com um curso exclusivo para inscritos envolvidos com a fixação mecânica, dividido entre de 3h45 com três blocos. Iniciado com Hilário Vassoler, engenheiro metalurgista e diretor da Metalfast - Tratamentos de Superfície, neste primeiro bloco foram demonstrados todas etapas de fabricação de um elemento de fixação, destacando pontos que podem interferir negativamente no atendimento dos requisitos de proteção contra corrosão, propriedades funcionais e decorativas do tratamento superficial final. A apresentação de Vassoler se dividiu entre os temas: matéria-prima, conformação a frio, laminação de rosca, tratamento térmico, eletrodeposição de zinco e suas ligas e fragilização por hidrogênio.

No bloco seguinte, a gerente O&M da Atotech do Brasil, Vivian Nagura, realizou uma breve análise de algu- mas variáveis que afetam diretamente os fixadores. “No caso do Zink Flake, fizemos uma abordagem do efeito da camada, qualidade da aplicação e como influencia a tolerância e o coeficiente de atrito utilizando as normas Din 10683 e ISO 16047”, finalizou Nagura.

Os trabalhos foram concluídos pelo mestre e doutor em físico-química pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e consultor técnico Metaltork, Roberto Garcia. "Foi uma ótima oportunidade este curso, que nos deu uma ampla visão sobre a trajetória do parafuso desde a matéria prima até a aplicação. Abordei atrito   e torque, ressaltando a compatibilidade entre os revestimentos dos parafusos e das contra-peças, a realidade do dia-a-dia. Entender que tanto os parafuseiros, os aplicadores de revestimentos e as fontes de tecnologia estão alinhados e possuem soluções para as mais diversas aplicações”, definiu Garcia.

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com