Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 71
Busca::..
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Persona
04/10/2018 07h16

 Persona

Dólar a R$4,00: uma oportunidade para a importação direta

    Consultor e gestor em comércio exterior aponta alternativas para comércio exterior, seja para micro, pequena e média empresa

 
Se eu disser a um empresário que o dólar alto cria um cenário de vantagens na importação, o que ele pensaria?
 
Você importador deve estar se questionando se vale a pena importar com a recente alta do dólar. Pelo senso comum, a alta do dólar é um cenário negativo que traz apenas o aumento de custos e, muito possivelmente, a parada nas importações. Não se deixe levar por esses equívocos: na prática, a importação direta com o dólar mais caro é bem diferente.
 
Como empresa de consultoria e gestão de importação, nunca recebemos tantas demandas de importação direta quando comparado ao momento em que o dólar estava acima de R$ 4,00. Isso se justifica pelo fato de grande parte das matérias-primas, componentes e partes que são integradas ao produto serem importadas. Sendo assim, é muito difícil que importadores não repassem os custos aos seus clientes, em função do aumento das cotações de moeda estrangeira.
 
Pode ser que no curto prazo o mercado não sinta com grande intensidade a variação da moeda, pois podem haver estoques reguladores, isto é, mercadorias que foram adquiridas em um momento posterior a variação do câmbio, e que já tiveram boa parte de seu custo definido em cotações mais baixas das moedas em questão.
 
Ademais, importando pelo Radar, o importador tem uma visão a longo prazo e importa na alta do dólar. Isso resulta em uma série de vantagens: a oportunidade de uma margem de lucro maior, reduzindo os gastos de compra; poder de renegociar os valores da mercadoria com os fornecedores atuais; buscar novos fornecedo- res que visam entrar no mercado brasileiro e planejar suas importações, reduzindo custos logísticos e diluindo custos fixos na importação.
 
Quando a moeda se estabilizar, como você quer estar posicionado? É preciso questionar-se e quebrar paradigmas para encontrar as oportunidades na oscilação cambial.
 
Mário Lopes
Diretor da IBSolutions, escritório especializado na gestão e consultoria para micro, pequenas e médias empresas que buscam importar e exportar.

 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com